ana-municio-PbzntH58GLQ-unsplash.jpg

Perguntas comuns

Você tem as perguntas - eu tenho as respostas

 

Qual a diferença entre psicólogo e psiquiatra?

Psiquiatria é uma das especialidades médicas. Ela é responsável pelo diagnóstico e tratamento dos transtornos mentais. O psicólogo auxilia na boa saúde mental do indivíduo e trata das doenças mentais.

O que é exatamente a telepsiquiatria? Como funciona?

A telepsiquiatria tem permitido que a saúde mental entre nos lares sem barreiras físicas, alcançando pessoas necessitadas de forma ágil e precisa. E o mais importante, com a preservação da humanização no atendimento. É essencial o uso da câmara independente do meio virtual escolhido, mantendo-se o sigilo médico-paciente nos mesmo moldes do atendimento presencial.

Eu consigo agendar uma consulta neste seu canal?

Sim, de duas formas: entrando em contato via WhatsApp no número 11-945091080 ou falando conosco por aqui.

O que são e como funcionam os grupos de apoio?

Para todas informações sobre grupos de apoio, clique aqui.

Você sabe a diferença entre Medo e Fobia?

MEDO: Resposta emocional natural a uma ameaça real iminente. Diante de um perigo imediato, gera comportamentos de fuga ou luta.

FOBIA: Medo irracional que gera apreensão, ansiedade e o evitamento de objetos e da situação fóbica temida. Pode se tornar persistente e fora de proporção em relação ao risco real que se apresenta.

Qual a diferença entre Ansiedade e Pânico?

ANSIEDADE: É a antecipação de ameaça futura, mais frequentemente associada a tensão muscular e vigilância. Gera comportamentos de cautela ou esquiva.

PÂNICO: São ataques abruptos de medo ou desconforto intenso que atingem um pico em poucos minutos, acompanhados de sintomas físicos e/ou cognitivos. Se destacam dentro dos transtornos de ansiedade como um tipo particular de resposta ao medo.

Meu antidepressivo está fazendo eu engordar. Posso parar?

Não. Discuta com seu médico sobre este efeito indesejado. Os medicamentos precisam ser retirados lentamente. A interrupção abrupta pode causar sinais de abstinência como irritabilidade, insônia, choro, tontura, mal-estar entre outros.

Meu filho adolescente só quer ficar no quarto olhando seu celular. Está sempre deitado, desanimado e não quer conversar com ninguém.  Pensei ser uma fase devido a pandemia, mas não estou vendo melhora. O que devo fazer?

Procurar ajuda o mais breve possível. O isolamento e o desânimo associados a falta de expectativa há mais de um mês, são sinais de Transtorno Depressivo.

Se eu perguntar sobre suicídio, posso induzir a pessoa a “isso”?

Se o fizer de forma acolhedora, amigável, se sensibilizando com o momento de dor que a pessoa está enfrentando, a resposta é não. Quando a pessoa se sente acolhida e compreendida, fica mais fácil de enfrentar seu sofrimento.

Minha sobrinha de 17 anos, tem andado triste, cabisbaixa, e sempre muito desanimada. Percebo que volta e meia fala algo sobre morrer. Como devo agir? Preciso me preocupar?

Sim, precisa se preocupar e se dispor a ajudar. Fale de forma espontânea e natural que tem percebido ela mais triste do que o costume, reforçando que tem se preocupado com ela. Mostre-se disponível a ouvir e ajudá-la a procurar ajuda profissional.

Li no seu blog sobre disciplina e percebi que está faltando controle de alguns impulsos no meu filho adolescente de 12 anos até porque sempre cedi muito por ser mãe solteira e contar sempre com ajuda da minha mãe. Ainda consigo colocar limites nele?

Sim, claro. Lógico que iniciar mais cedo torna-se mais fácil para ambos. Mas nada está perdido. Comece com pequenas mudanças nas suas atitudes e comportamentos sem ser rígida para não gerar conflitos, mostrando a ele que não vai ceder nas situações. Ser firme sem ser autoritária.

Tenho 2 primos com esquizofrenia na família e meu filho tem 5 anos. Fico preocupada. É genético? Quais são os sinais?

Tem um forte fator genético. É uma doença complexa, grave e heterogênea. Acompanhe nosso vídeo e nossa publicação da semana sobre este tema. Com certeza, vai te ajudar a entender melhor!

Percebo que todas as vezes que quero orientar minha filha de 14 anos, ela revira os olhos e não dá importância. Prefere conversar com suas amigas e temos tido muitos conflitos ultimamente. Éramos tão amigas quando ela era criança. Estou sofrendo muito com estas mudanças.

Adolescência é uma fase de mudanças e busca de autonomia. Ela não está te desprezando, apenas buscando seu espaço. Fique sempre por perto pois ela continua precisando de você. Mostre a ela que você ainda é sua melhor amiga.

Dra. Ana, tenho 17 anos e não consigo me organizar com o tempo de estudo. Procrastino o dia inteiro e quando me dou conta, o dia já acabou sem eu estudar. Com a chegada do Enem, me sinto frustrado e com vontade de desistir. O que devo fazer?

Não desista! Como falta muito pouco tempo para o Enem, estude pelos resumos e faça as provas dos anos anteriores. Organize as tarefas com intervalos curtos de tempo com pequenas folgas entre elas. Evite o uso do celular e as redes sociais neste momento. Esta semana postarei algumas dicas de estudo.

Dra. Ana, como faço para afastar minha filha do celular? Está atrapalhando seu rendimento escolar

Converse com ela e faça um acordo sobre a necessidade de conciliar os estudos com o uso do celular. Mostre a necessidade de ser responsável com suas atividades escolares. Dá tempo de fazer as duas coisas. Combine por exemplo, de a cada 2h estudadas, usar 30 minutos do celular. 

Tenho notado milha filha de 13 anos muito ansiosa, roendo unhas, muitos medos, mesmo agora na volta as aulas. Quando pergunto qualquer coisa, começa a chorar. Ela estava assim durante o isolamento social e pensei que fosse melhorar, mas está pior. Pode ser depressão?

Estudos têm mostrado aumento de 20 a 30% de ansiedade e depressão entre os adolescentes e jovens como sequela do Covid-19. Publiquei um texto sobre o assunto. Dê uma olhada e me ligue se precisar.

Tenho 30 anos, sempre tive muita fé, frequento igreja, mas há dois anos tenho estado muito ansiosa, não consigo dormir, me afastei de amigos e sinto que até perdi a fé. Fico constrangida de procurar ajuda profissional devido a igreja. Preciso de ajuda

Não precisa ficar constrangida. Ainda há muitos preconceitos em relação a saúde mental e fé. Mas nas duas últimas décadas a associação da psiquiatria com religião tem mostrado resultados positivos no tratamento. Busque ajuda e mantenha sua fé.

Como explicar aos meus pais, que são evangélicos que sofro de depressão? Eles não aceitam porque fui criada na igreja e eles acham que estou assim pois minhas convicções religiosas não são firmes.

Explique a eles que a mente faz parte do corpo e quando adoece, como qualquer outro órgão, precisa ser tratada para não piorar o quadro. Não há nenhuma passagem bíblica e que Deus discrimina as doenças ou faz acepção de pessoas. Pode pedir para me ligarem que explico melhor com prazer.