Stacking%2520Blocks_edited_edited.jpg

AUTONOMIA NA INFÂNCIA

Os pais ou os cuidadores das crianças na primeira e segunda infância, geralmente, compreendem que é normal a dependência dos filhos antes da aquisição da autonomia da vida diária. As crianças buscam esta autonomia desde o início de seu desenvolvimento, isto é, mesmo no período de suas vidas em que dependem de seus cuidadores. Quando crescem e, por algum motivo, esta autonomia não ocorre no tempo esperado para a idade, prolongando sua dependência, é também normal que os pais/responsáveis se sintam frustrados, fadigados e, até mesmo, sobrecarregados. A autonomia é vista na realização de atividades de vida diária, como banhos, comer sozinho, vestir-se, contribuir na realização de tarefas domésticas, fazer sua própria higiene, entre outros.

 O ambiente familiar nesta primeira fase da vida é fundamental. É necessário o ensino de fazer escolhas com responsabilidades, permitindo aos filhos arcar com as consequências dessas escolhas, sejam elas boas ou não.  Ambientes repressores ou excessivamente protetores podem fazer com que a criança tenha dificuldade em exercer sua autonomia, gerando insegurança ao tomar suas decisões, podendo muitas vezes comprometer seu futuro.

Por isso, recomendo que o desenvolvimento da autonomia seja estabelecido desde a mais tenra idade, para que nossos filhos tenham competência em gerir suas próprias vidas. Nem todas as decisões que fazemos ao longo da nossa caminhada são corretas, mas todas elas precisam ser escolhidas de forma consciente, usando o livre-arbítrio com responsabilidade.