Buscar
  • Dra. Ana

Segurança do adolescente frente às mídias eletrônicas

Segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, a exposição de crianças e adolescentes na internet já ocupa a quinta posição de denúncias no ranking do Disque 100. Um relatório da Norton Cyber Security de 2017 revela que o Brasil é o segundo país com o maior número de casos de crimes cibernéticos


As mídias sociais têm, inegavelmente, grande relevância na formação de opinião dos adolescentes e jovens. Diversas mensagens, imagens e publicidades são dirigidas a estas faixas etárias, que representam uma parcela expressiva de consumo. Muitos programas apresentam temas vulgares e de forte apelo sexual, onde a fantasia se sobrepõe à realidade.


Devido à facilidade de acesso, os adolescentes se tornam presas fáceis de criminosos e pedófilos e, com a falta de supervisão adequada, entram em fóruns, grupos e discussões online sem que se identifiquem. Este “anonimato” proporciona uma falsa segurança, fazendo com que os diálogos se tornem mais pessoais e íntimos do que aconteceria num encontro presencial.


As pesquisas mostram que 60% dos adolescentes já sofreram algum tipo de assédio sexual, mas que apenas 40% contam aos pais e responsáveis, e que raríssimos casos são levados à polícia ou ao Serviço de Provedores da Internet.

Os pais/responsáveis devem ficar atentos ao uso excessivo das redes e mídias sociais, à solicitação de amizades suspeitas e à presença de arquivos e figuras pornográficas. Há aplicativos, programas de antivírus e filtros de conteúdo para limitar o acesso a determinados conteúdos.


A melhor estratégia de prevenção é a orientação. Orientem aos seus filhos sobre o uso responsável e ético da internet e expliquem sobre os riscos de conversar com estranhos, fornecer informações pessoais e/ou enviar fotos íntimas. Mostre interesse, navegando em sites de forma conjunta, verificando onde eles têm visitado quando estão sozinhos. Ensine-os sobre o uso saudável das mídias eletrônicas. Sejam vocês o melhor exemplo!


https://revistacrescer.globo.com/Educacao-Comportamento/noticia/2021/07/mae-apaga-redes-sociais-da-filha-de-14-anos-com-quase-2-milhoes-de-seguidores-proteger-futura-saude-mental.html

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo