Buscar
  • Dra. Ana

MÊS DE SETEMBRO: FAÇA A DIFERENÇA!

Setembro é o mês da Prevenção do Suicídio. Isto não significa que as medidas preventivas só deverão ser aplicadas ou debatidas neste mês. É apenas uma maneira de chamar a atenção para um tema tão relevante, responsável pela segunda causa de morte entre adolescentes e jovens de 15-29 anos.


Quem acompanha meu trabalho, tem visto que volta e meio escrevo sobre este assunto. As estatísticas de suicídio, segundo a Organização Mundial de Saúde, não são tão elevadas. Mas minha preocupação maior é com o pensamento de morte tão frequentemente relatado por adolescentes e jovens. Pensamento não entra na estatística. De 10 jovens que atendo, 8 falam na morte como uma solução para seus enfrentamentos e desafios. Lutam muitas vezes sozinhos, constrangidos, sem esperança e com sensação de desemparo. Ficam com vergonha de buscar ajuda ou confessar suas intenções e pensamentos com familiares ou amigos.


Por isto aproveito os meses de setembro, para intensamente alertar as famílias, instituições e autoridades sobre esta realidade. Muitas famílias são destroçadas quando perdem seus entes queridos desta forma trágica, se culpando por não terem percebido os muitos sinais indicativos do sofrimento destes jovens.


A frequência destes pensamentos entre os jovens se relaciona com a fase de vida que estão vivenciando. Sofrem de pressões internas e externas, sentem-se decepcionados consigo mesmo, se achando incapazes de serem bem-sucedidos diante dos desafios e de seus sonhos. Associam-se aos fatores biológicos, os sociais e ambientais, podendo agravar o quadro sensivelmente.


Ficar atentos aos sinais e pedidos de socorro, é essencial. Acolhê-los com sensibilidade e amor, é a maneira correta de impactar positivamente a saúde mental deles:


Ouvir enfaticamente: quanto mais você ouvir, mais você compreenderá, menos sozinhos se sentirão e mais esperança terão no futuro.


Ajudá-los nos desafios diários: realizar juntos atividades simples com arrumar a cama, lavar a roupa e fazer comida, faz com que não se sintam sobrecarregados quando se libertarem deste “quarto escuro”


Lembrá-los que são amados e não um “fardo”: frequentemente acham que os outros ficarão melhor sem eles.


Estar presente: o apoio de alguém próximo a eles até que a “tempestade” termine traz conforto e segurança.


Empoderamento: lembrá-los das conquistas, das habilidades, das coisas positivas e a forma corajosa que estão enfrentando os momentos atuais. E que a superação é uma questão de tempo.


Todas estas coisas vão ajudar os jovens se sentirem amados e cuidados. Por favor encaminhe e compartilhe, você pode salvar a vida de alguém!

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo