Buscar
  • Dra. Ana

Como enfrentar Fobia Social na Infância e Adolescência?

Muito frequente entre as crianças e adolescentes, a Fobia Social tem início entre 8-15 anos e é mais comum entre as mulheres.


Muito mais que uma simples timidez, a base da fobia social são os sentimentos de medo e ansiedade. Ambos desproporcionais à ameaça real, são considerados exagerados pelos adultos responsáveis e presentes em uma ou mais situações sociais, causando sofrimento ou prejuízo significativo.

Os temores são de ser julgado pelos outros, de ser observado, de fazer uma apresentação na escola e de ser rejeitado. Choros, acessos de raiva, “congelamento”, retraimento e mudez, são formas de expressar seus medos e ansiedades diante destas situações.


Se não avaliado e tratado precocemente, a fobia social poderá provocar sérias repercussões na vida adulta.


Como eu trato?


O uso de medicamentos chamados de inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRS) são eficazes e o meus preferidos. Mas são indicados apenas nos casos da fobia social agravada pela presença de sintomas de pânico ou associada a outra condição mental.


As técnicas de treinamento social como monoterapia tem ótimos resultados. É fundamental que a criança ou adolescente diferencie a situação real da irreal.

Punições ou ameaças parentais ou por parte da escola, só prejudicam e pioram a autoestima.


A melhor solução é apoiar e tratar.


Conte comigo!

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo